Do fundo da grota - Baitaca - Cifra melódica | Joanir Produções
Carregando... Você já pode rolar a página!

Do fundo da grota - Baitaca - Cifra melódica

quinta-feira, 2 de janeiro de 2020 às
Confira as notas musicais da canção Do fundo da grota, de Baitaca, para flauta doce, clarinete, escaleta, violino e outros instrumentos musicais. Assista ao vídeo com as notas na flauta doce:

Vídeo: https://youtu.be/2_C8qo6RBIw

As notas desta música foi um pedido do Cleison Ritter lá no Youtube. Se inscreva no nosso canal para poder pedir suas músicas também.

Abaixo, deixei as notas musicais escritas para você ensaiar pausadamente. Tente tocar também. Bons estudos!

Do Fundo da Grota - Baitaca

Fui criado na campanha
SOL SOL dó dó SI SI LÁ SOL
Em rancho de barro e capim
SOL LÁ SOL LÁ SOL SOL LÁ
Por isso é que eu canto assim
LÁ LÁ LÁ SOL SI SI SI
Pra relembrar meu passado
SOL SOL SOL SOL FÁ MI RÉ DÓ
Eu me criei arremedado
SOL SOL SOL dó dó SI SI LÁ SOL
Dormindo pelos galpão
SOL LÁ SOL LÁ SOL SOL LÁ
Perto de um fogo de chão
LÁ LÁ LÁ SOL SOL SI SI
Com os cabelo enfumaçado
SOL SOL SOL SOL FÁ MI RÉ DÓ

Quando rompe a estrela D'alva
MI MI FÁ FÁ MI MI RÉ RÉ
Aquento a chaleira
RÉ RÉ RÉ RÉ SOL SOL
Já quase no clariá o dia
SOL SOL SOL SOL SOL SOL MI MI
Meu pingo de arreio
MI MI MI MI LÁ LÁ
Relincha na estrebaria
LÁ LÁ SOL SOL SOL SOL SOL SOL
Enquanto uma saracura
RÉ RÉ RÉ RÉ RÉ RÉ SOL SOL
Vai cantando empoleirada
SOL SOL SOL SOL FÁ FÁ MI MI

Escuto o grito do sorro
MI MI FÁ FÁ MI MI RÉ RÉ
E lá no piquete
RÉ RÉ RÉ RÉ SOL SOL
Relincha o potro tordilho
SOL SOL SOL SOL SOL SOL MI MI
Na boca da noite
MI MI MI MI LÁ LÁ
Me aparece um zorrilho
LÁ LÁ SOL SOL SOL SOL SOL SOL
Vem mijá perto de casa
RÉ RÉ RÉ RÉ MI FÁ SOL SOL
Pra enticar com a cachorrada
SOL SOL SOL SOL FÁ MI RÉ DÓ

Numa cama de pelego
SOL SOL dó dó SI SI LÁ SOL
Me acordo de madrugada
SOL LÁ SOL LÁ SOL SOL LÁ LÁ
Escuto uma mão-pelada
LÁ LÁ LÁ SOL SOL SI SI SI
Acuando no banhadal
SOL SOL SOL SOL FÁ MI RÉ DÓ
Eu me criei xucro e bagual
SOL SOL SOL dó dó SI SI LÁ SOL
Honrando o sistema antigo
SOL LÁ SOL LÁ SOL SOL LÁ LÁ
Comendo feijão mexido
LÁ LÁ LÁ SOL SOL SI SI SI
Com pouca graxa e sem sal
SOL SOL SOL SOL FÁ MI RÉ DÓ

Quando rompe a estrela D'alva
MI MI FÁ FÁ MI MI RÉ RÉ
Aquento a chaleira
RÉ RÉ RÉ RÉ SOL SOL
Já quase no clariá o dia
SOL SOL SOL SOL SOL SOL MI MI
Meu pingo de arreio
MI MI MI MI LÁ LÁ
Relincha na estrebaria
LÁ LÁ SOL SOL SOL SOL SOL SOL
Enquanto uma saracura
RÉ RÉ RÉ RÉ RÉ RÉ SOL SOL
Vai cantando empoleirada
SOL SOL SOL SOL FÁ FÁ MI MI

Escuto o grito do sorro
MI MI FÁ FÁ MI MI RÉ RÉ
E lá no piquete
RÉ RÉ RÉ RÉ SOL SOL
Relincha o potro tordilho
SOL SOL SOL SOL SOL SOL MI MI
Na boca da noite
MI MI MI MI LÁ LÁ
Me aparece um zorrilho
LÁ LÁ SOL SOL SOL SOL SOL SOL
Vem mijá perto de casa
RÉ RÉ RÉ RÉ MI FÁ SOL SOL
Pra enticar com a cachorrada
SOL SOL SOL SOL FÁ MI RÉ DÓ

Reformando um alambrado
SOL SOL dó dó SI SI LÁ SOL
Na beira de um corredor
SOL LÁ SOL LÁ SOL SOL LÁ LÁ
No cabo de um socador
LÁ LÁ LÁ SOL SOL SI SI SI
Com as mão brotiada de calo
SOL SOL SOL SOL FÁ MI RÉ DÓ
No meu mango eu dou estalo
SOL SOL SOL dó dó SI SI LÁ SOL
E sigo a minha campeirada
SOL LÁ SOL LÁ SOL SOL LÁ LÁ
E uma perdiz ressabiada
LÁ LÁ LÁ SOL SOL SI SI SI
Voa e me espanta o cavalo
SOL SOL SOL SOL FÁ MI RÉ DÓ

Quando rompe a estrela D'alva
MI MI FÁ FÁ MI MI RÉ RÉ
Aquento a chaleira
RÉ RÉ RÉ RÉ SOL SOL
Já quase no clariá o dia
SOL SOL SOL SOL SOL SOL MI MI
Meu pingo de arreio
MI MI MI MI LÁ LÁ
Relincha na estrebaria
LÁ LÁ SOL SOL SOL SOL SOL SOL
Enquanto uma saracura
RÉ RÉ RÉ RÉ RÉ RÉ SOL SOL
Vai cantando empoleirada
SOL SOL SOL SOL FÁ FÁ MI MI

Escuto o grito do sorro
MI MI FÁ FÁ MI MI RÉ RÉ
E lá no piquete
RÉ RÉ RÉ RÉ SOL SOL
Relincha o potro tordilho
SOL SOL SOL SOL SOL SOL MI MI
Na boca da noite
MI MI MI MI LÁ LÁ
Me aparece um zorrilho
LÁ LÁ SOL SOL SOL SOL SOL SOL
Vem mijá perto de casa
RÉ RÉ RÉ RÉ MI FÁ SOL SOL
Pra enticar com a cachorrada
SOL SOL SOL SOL FÁ MI RÉ DÓ

Lá no centro do capão
SOL SOL dó dó SI SI LÁ SOL
Ouço o piar de um nambú
SOL LÁ SOL LÁ SOL SOL LÁ LÁ
Numa trincheira o jacú
LÁ LÁ LÁ SOL SOL SI SI SI
Grita o sabiá nas pitanga
SOL SOL SOL SOL FÁ MI RÉ DÓ
E bem na costa da sanga
SOL SOL SOL dó dó SI SI LÁ SOL
Berra a vaca e o bezerro
SOL LÁ SOL LÁ SOL SOL LÁ LÁ
No barulho dos cincerro
LÁ LÁ LÁ SOL SOL SI SI SI
Eu encontro os bois de canga
SOL SOL SOL SOL FÁ MI RÉ DÓ

Quando rompe a estrela D'alva
MI MI FÁ FÁ MI MI RÉ RÉ
Aquento a chaleira
RÉ RÉ RÉ RÉ SOL SOL
Já quase no clariá o dia
SOL SOL SOL SOL SOL SOL MI MI
Meu pingo de arreio
MI MI MI MI LÁ LÁ
Relincha na estrebaria
LÁ LÁ SOL SOL SOL SOL SOL SOL
Enquanto uma saracura
RÉ RÉ RÉ RÉ RÉ RÉ SOL SOL
Vai cantando empoleirada
SOL SOL SOL SOL FÁ FÁ MI MI

Escuto o grito do sorro
MI MI FÁ FÁ MI MI RÉ RÉ
E lá no piquete
RÉ RÉ RÉ RÉ SOL SOL
Relincha o potro tordilho
SOL SOL SOL SOL SOL SOL MI MI
Na boca da noite
MI MI MI MI LÁ LÁ
Me aparece um zorrilho
LÁ LÁ SOL SOL SOL SOL SOL SOL
Vem mijá perto de casa
RÉ RÉ RÉ RÉ MI FÁ SOL SOL
Pra enticar com a cachorrada
SOL SOL SOL SOL FÁ MI RÉ DÓ



Uma observação: as notas em MAIÚSCULAS são graves e as em minúsculas são agudas. Mas, você pode tocar como achar melhor.

Veja como fazer as notas na flauta doce soprano barroca ou germânica.

Se gostou, deixe o seu comentário aqui embaixo. Peça uma música!! Até a próxima!

Confira os outros posts:

Comente aquiiiiiii!!